top of page

"Tinta y Tiempo", Jorge Drexler (2022)

Atualizado: 31 de mai.

Olá, gente! Hoje gostaria de propor para vocês a escuta do mais recente álbum do Jorge Drexler, intitulado Tinta y Tiempo. Drexler é um cantor e compositor uruguaio radicado na Espanha que tem uma discografia enorme e que recebeu várias premiações importantes, como o Oscar de melhor canção original em 2005 e vários Grammy’s Latinos (2014, 2018, 2021 e 2022). Uma curiosidade é que ele é médico por formação, mas desde os anos 1990 se dedica integralmente à música.


Tinta y Tiempo é um disco grandioso, no sentido de ter grandes instrumentações e aspirações poéticas. Drexler comenta que foi uma ideia que surgiu no alto da pandemia, como uma antítese do que seria o fazer musical do período de lockdown: os músicos sozinhos com seus violões e computadores gravando arranjos mais enxutos. Em uma entrevista na qual Drexler está comentando sobre o álbum, ele fala que o título (que pode ser traduzido para Tinta e Tempo) é uma analogia que faz alusão há tudo que ele precisaria para compor. Sendo “tinta” uma analogia à caneta, ou às ferramentas de criação.


As letras são bastante provocativas e, de certa forma, representam bem a carreira de 30 anos do autor. Destaco especialmente a música de abertura “El Plan Maestro”, que é uma canção de amor que tem uma premissa científica, por assim dizer. Ele descreve como o desenvolvimento da reprodução sexual entre organismos na Era Mesoproterozóica poderia ser metaforicamente encarada como a invenção do amor e do sexo, que iria revolucionar a evolução da vida. Outra letra interessante é a da canção “¡Oh, algoritmo!”, que levanta questionamentos muito atuais sobre a dependência dos algoritmos em nossas escolhas.


Espero que gostem da audição!


FICHA TÉCNICA

Vozes – Jorge Drexler, Leah Drexler, Luca Drexler

Produtor – Carles Campi Campón, Jorge Drexler

Arranjo/ Regência [Orquestra] – Fernando Velázquez

Orquestra – ORCAM

Backing Vocals – Alana Sinkëy, Jorge Drexler, Martin Buscaglia, Miryam Latrece, Meritxell Neddermann

Canto [Mejorana Panameña] – José Miguel Velásquez

Baixo – Martin Leiton

Baixo, Piano, Processamento de áudio, Triângulo, Sintetizador – Campi

Bateria, Percussão, Palmas – Borja Barrueta

Guitarra, Violão, Baixo – Javier Calequi

Wurlitzer – Didi Gutman

Violão Flamenco, Piano, Guitarra, Violão – Jorge Drexler

Violão, Percussão – Víctor Martinez

Keyboards – Martin Buscaglia

Percussão, Sintetizador, Efeitos – pablopablo

Programação – Noga Erez

Programação de Guitarra – Ori Rousso

Sintetizador, Efeitos – Fede Vindver, Rafa Arcaute

Sintetizador, Violão Flamenco – Jordi Matas

Sintetizador, Piano, Baixo [Synthetized Bass] – Meritxell Neddermann

Gravação – Campi, Daniel Alanís, Lucas Piedracueva, Pablo Drexler

Assistentes de gravação – Fernando Calderón, Sam Choi

Mixagem – Daniel Carvalho

Masterização – Fred Kevorkian


PAÍS

Uruguai/Espanha


TIPO DE SOM

Canção


LINKS

YouTube


Spotify

Commenti


bottom of page